Próximo sábado uma boltinha a não perder

 Ficha de Inscrição aqui

INSCRIÇÃO III PASSEIO DE BTT FORLIFE

Em colaboração com a Câmara de Municipal de Viseu e a Junta de Freguesia de Santos Evos e incorporado na caminhada local, trail running e em diversas aulas de fitness, o passeio de BTT sem qualquer carácter competitivo, surge como uma mais valia na oferta desportiva, junto do percurso oficial para a modalidade, no percurso de Santo Ivo.
Deste modo, no dia 2 de Agosto, pelas 17h30, na povoação de Corvos-á-Nogueira, inicia-se a concentração de atletas para o inicio do passeio. A inscrição é gratuita (mas obrigatória) e no final, oferta de porco no espeto e uma t-shirt alusiva ao evento, para todos os participantes. O seguro desportivo está igualmente assegurado. Qualquer duvida é favor contactar João Filipe Soares, pelo e-mail joaofilipesoares@hotmail.com ou na Receção do Forlife, no piso -2, no Palacio do Gelo Shopping.
A título informativo já 3 inscrições
- Presidente
- Diretor
- Kapitão

Guerra Israel - Palestina

O mundo assiste, incrédulo, à matança de inocentes num conflito que marca os nossos dias, mas que não é de hoje. A evolução do Estado de Israel no mapa, e ao longo dos anos, mostram a história de um conflito que está no auge do extermínio de um povo.
E o mundo assiste, impávido e sereno.
Sem mais... IMAGENS QUE FALAM POR SI.






Bolta Intermédia




Quartas Feiras, às 18:30,
 atrás do Tribunal.
Aparece!

A Bolta dos Vagabundos!

Foi este domingo, a convite dos Vagabundosbtt, que os bassares se tornaram uns deles. Ainda bem que eu não fui, mas pelo que vi.... fiquei com pena.
Os bassares, como sempre, ficaram bem classificados (dizem eles...) mas ainda não há imagens do Podium.
Só sei é que, com o sempre, valeu a pena!

Outro facto, não menos interessante, a registar e que as fotos (de grupo) demonstram é que foi feita nova aquisição para a EQUIPA B BASSARE. Há que tirar medidas para mandar fazer um equipamento à maneira. Uma bassarete genuína anda de azul....!
Foto de Família com a nova aquisição
E pronto, sentaram-se. Pensavam por lá que estava a falar deles quando me referi à nova aquisição. Convencidos!!!
(Re)Legenda: Foto de Família com os feios sentados (eh eh eh).
Só destoa o equipamento.


Há vírus nos bassares

Cuidado parece que anda aí um VÍRUS destruidor dos bassares. Está apanhar os mais incautos: ele já foi o André, o Fernando, o João, o Manel...e parece que agora os Prêsidenti!!!!!

Tende cuidado, tomais umas vitaminas porque se vos apanha a vós (ou a mim) é uma desgraça.
Para me prevenir eu vou tomar precauções e a próxima aquisição será esta:

Depois ninguém me apanha.

As boltas intermédias

Caros bassares.
Foi decidido em Assembleia Geral Extraordinária que às quartas-feiras, pleas 18:30, atrás do Tribunal, sairá sempre uma concentração de bassares, com os que aparecerem, para uma bolta intermédia. Estas boltas terão um período de tempo indeterminado mas que se prevê que se prolongue até às vindimas.

Portanto,

...quem quiser dar uma bolta bassare é só aparecer às quartas, às 18:30. Atrás do Tribunal (ecopista)

Atenção ao próximo domingo

Atenção à cumbucatória dos Prêsidenti.
No próximo domingo os bassares estão convidados pelos Vagabundosbtt a participar num Passeio (sim, porque bolta só nós é que damos) lá para os lados de Pascoal.
Dados a registar.

8:00 - concentração dos bassares e do resto do mundo e explicação sobre o percurso
8:30 - partida. largada, fugida
...depois seja o que Deus quiser.

 A participação tem o custo de 2 bananas com direito a ... almoço. Pagamento no próprio dia.
Não há banhos nem lavagem de bicicletas porque isso não é para homens.

Percurso de dificuldade média/alta (segundo a organização, mas cá p'ra mim é só garganta, digo eu).

E pronto.
Apareçam.

Bolta de domingo 20 de julho

A tradicional bolta dos bassares teve a particularidade este domingo de incluir os morfes (o que não é novidade nenhuma) mas também de me calhar a mim comer qualquer coisita (isto sim, é novidade). Acabou aqui a teoria da conspiração pois parecia que cada vez que eu não podia ir a bolta tinha de incluir comes e bebes. Ora, este domingo foi a desforra, como comprovam as fotos.
Mas não é só a encher o bandulho que os bassares se ocupam ao domingo. Não. Desta vez porque o Neto fazia anos e o Manel estava nos pêssegos hou festa rija.
Mas os bassares também pedalam... e bem!
Bom resto de semana.
A crónica esteve no forno e quase que esturricou.


Biba o Neto que faz anos (....e o Tó Mérida também)

Hoje, na bolta domingueira, comemoramos os anos do Neto, com bolo e parabéns, e tudo e tudo. A preceito, como deve ser. Porque os bassares são assim.
Os parabéns também ao Tó Mérida!
Crónica da bolta está no forno!

Santiago de Compostela 2015



Pois é!
Vai ser a próxima (GRAAAAANDE) expedição dos bassares já com data aprovada em Assembleia Geral Extraordinária:



 30 de abril a 2 de maio de 2015

Como uma expedição desta natureza requer uma preparação cuidada vamos começar já os preparativos para uma expedição que será também uma Peregrinação e a oportunidade de percorrer os milenares caminhos de Santiago, retomando aquela que é a mais antiga e importante rota de peregrinação da Europa.

Iremos disponibilizar em breve uma ficha de inscrição e com regularidade publicaremos dados de interesse para esta Peregrinação dos Bassares.

Para começar, um pouco de história

O apóstolo Tiago, o Jacobo, ou o maior, Santiago, Saint Jacques em francês, Saint James em inglês, em hebraico Yacob (Jacó), após a crucificação de Jesus, pregou o evangelho na Galiza, região que aprendeu logo a amar.

De regresso a Jerusalém, foi decapitado pelo Rei Herodes, e os seus restos mortais, segundo a lenda, foram levados de volta à Espanha num barco de pedra, transportado por anjos, numa viagem que durou 7 dias e foi enterrado na Galiza. Em princípios do milénio atual, continua a lenda, um camponês chamado Pelayo, guiado por muitas estrelas, encontrou num grande campo, a sepultura do apóstolo.

A notícia correu mundo, lançando uma legião de cristãos a peregrinar até Santiago de Compostela, cidade que se formou na região.

A palavra Compostela, provém de campo de estrelas, ainda segundo a lenda.

Desde então, multidões de peregrinos anónimos vêm percorrendo este caminho mágico, o único no mundo que não se formou por motivos comerciais. Vários daqueles que deixaram o nome na história, como Carlos Magno, El Cid, São Francisco de Assis, Fernão de Aragão e Isabel de Castela, também percorreram o caminho.

Ainda hoje se faz a história do caminho, com a passagem de peregrinos não menos famosos da nossa história contemporânea, como artistas, escritores, historiadores... e claro, o bassares, um Grupo (des)organizado de amigos, da região de Viseu, que montam bículas.

Feira Quinhentista

Pois no domingo (e no sábado) não estive na tradicional bolta bassare porque participei na comemoração dos 500 anos da atribuição do Foral a Pinheiros pelo Rei D. Manuel I.
Foi uma grande festa, afinal eram 500 anos, em que participou muita nobreza, muito clero e, claro, muito povo. Entre vivas e aclamações a El Rei D. Manuel I todos saíram dessa dia felizes e contente, incluindo eu.


Bolta de domingo 13 de julho - os mesmos lambões de sempre!

Não posso virar costas e deitam-se logo à chouriça. Ando eu, domingo a domingo, a penar a ver se me calha alguma coisita e nada. Logo que viro costas, atiram-se à chouriça.
Estes bassares são mesmo uns lambões....!
É que eu não posso dizer mais nada, a não ser limitar-me a comentar as fotos que chegaram à nossa Redação. E das fotos, andar de bícula... nada. Só lambões a comer e a buber!


Viseu é, sem dúvida, a melhor cidade para se viver!

Como no próximo domingo não vou poder participar na tradicional bolta bassare decidi neste sábado de manhã compensar essa lacuna com um giro semi-urbano que inclui uma passagem pelos "Jardins Efémeros" e terminou nos trilhos da ecopista até à ponte de Mosteirinho, regressando depois a casa, feliz e contente. Ao contrário do que é habitual, fiz o percurso sozinho, o que deu para pensar na vida e concluir que, de facto, vivemos numa cidade com qualidade de vida acima da média, com espaços verdes, pensada para todos, onde se pode praticar deporto e onde os eventos culturais brotam natural e continuamente. Uma boa aposta, mas nós temos de a saber aproveitar.
Registos dos Jardins Efémeros na sexta à noite e no sábado de manhã, já quando passava de bicicleta, com passagem, claro, pela ecopista do Dão.
Bom fim de semana e voltaremos a encontrar-nos no próximo.


















Basarbtt - Serra da Estrela: a travessia épica!

A Expedição épica da Serra da Estrela teve o seu ponto crítico quando tivemos a necessidade, mesmo no alto descampado da serra, de reagrupar todos os elementos, esperando os mais adiantados pelos que vinham mais atrasados, para que ninguém se perdesse. Devido às condições climatéricas, em particular ao frio que se fazia sentir, era humanamente impossível estar parado à espera dos companheiros. De modo que, a solução foi andar a correr no trilho, para trás e para a frente, em direção aos bassares do pelotão, para não entrar em hipotermia. No meio do mau tempo o que nos salvou foi sempre a boa disposição e uma atitude mental forte de incentivo a ânimo para quem estava mais desalentado.
É o que podemos ver neste vídeo através do bassare Prêsidenti!

Feira Quinhentista de Pinheiros - Tabuaço

Caros Amigos:

É como enorme prazer que endereço o meu convite pessoal para estarem presentes num dos maiores eventos que se vai realizar na freguesia de Pinheiros, as Comemorações dos 500 Anos da Atribuição do Foral pelo Rei D. Manuel I.
Para marcar esta data histórica temos agendadas várias actividades nos dias 12 e 13 de Julho de forma a recriar os acontecimentos que marcaram este momento histórico desta freguesia.
Vinde conhecer um pouco da nossa história e garanto-vos que não vos ireis arrepender. Consultem o Programa em anexo.

Saudações com amizade e consideração,

Amâncio Silva

Uma mákina infernal por uma pechincha... quem quer?


Confirmo que é uma makina infernal!
Passou a Serra da Estrela com uma roda às costas 
Quadro - Bfour 29er carbono (tamanho M)
Suspensao - Rockshox SID com poplock
Guiador/espigao - Ritchey carbono
Avanço - 3T carbono
Selim - Prologo x8
Rodas - Roda frente Dt swiss xr 39 / Roda tras Dt swiss 425 sl
Desviador/manipulo - Sram X9
Pedaleiro - Aerozine x12 com prato snv 32t
Cassete e corrente - Shimano XT com prato de 42t SNV na cassete (1x10) toda a transmissao tem 100km reais!!!
Preço - 1800€ (negociavel vindo buscar em mao)
Qualquer duvida nao exitem
GostoGosto ·  · 

Missão (cumprida): Serra da Estrela.

Estava agendada há já algum tempo no calendário bassare esta experiência de atravessar parte da Serra da Estrela, desde a Lagoa Comprida até Folgosinho, numa distância aproximada de 45km e aparentemente sem dificuldades de maior. Este dia foi preparado ao pormenor, com sucessivas reuniões preparatórias que incluíram Assembleias Gerais Extraordinárias, levantamento topográfico e batedores no terrenos para averiguar a transitabilidade do percurso. Foi tudo pensado ao pormenor, até que o facto, esperem lá, tudo pensado, não, temos de assumir que atendendo ao mês do calendário em que em este dia decorria nunca nos passou pela cabeça enviar um fax ao S. Pedro a providenciar o Bom Tempo. E aqui, assumimos, desde já, o falhanço total da organização. É que o S. Pedro levou a mal não ter sido convocado para planear este dia com os bassares que se zangou de forma tão violenta que foi o que se viu.
Bem, no domingo, 6 de julho, que ficará para sempre na história dos basses saiu de Viseu pelas 7:00, ah, desculpem, 8:00, uma comitiva de 4 carros mais o camião de transporte das bículas em direção à Lagoa comprida. Chegados lá, e depois de aperaltados, a tradicional "foto de família":
- 19 bassares a rolar (incluindo as 3 bassaretes + um convidado internacional) e um que devido a lesão ficou de suporte com o carro de apoio. E ainda a particularidade de termos o basssareandré a estrear a sua nova bike, made in Portugal, montada "à la Carte" e que fez o seu primeiro teste de resistência (se a procurarem bem descobrem-na - segunda em baixo a contar da esquerda).

 Nesta altura, pelas 9H00 ainda não chovia, apenas o frio e o nevoeiro se fazia sentir (tal como se pode ver pelas fotos). Iniciou-se a expedição que, para cumprir a tradição bassare, logo deixou para trás 3 estarolas que ficaram (dizem eles) a tratarem da nossa vida  e obrigando à primeira paragem de controle de tempo à espera que eles aparecessem.
9H15 - Começo a chover!
A partir daqui foi a preocupação constante do nosso Kumandante ter sempre o exército junto e nós tentarmos "remar contra a maré", que é como quem diz: chuva, vento, nevoeiro e frio (muito frio). Se bem que não se visse "um palmo à frente do nariz" percorremos a 3 lagoas e a primeira parte do percurso cumpriu-se no Vale do Rossim. Aqui tivemos que fazer uma pequena alteração à composição do grupo pois o nosso convidado internacional, apesar de ser natural das terras Helvéticas e de estar habituado à neve, não estava a aguentar a chuva e, sobretudo, o frio. Assim temendo-se que o pior do percurso estaria para vir o nosso Nicolas acabou por regressar a Folgosinho mais cedo no carro de apoio.
10H30 - Vale do Rossim
Continuou a chover.
Apanhamos a estrada do alto do "Malhão" e começamos a subir para a "crista do monte", um ermo desamparado, inóspito, sem qualquer vegetação e indícios de vida, inabitável e desprovido de qualquer abrigo, onde a chuva estava tormentosa e o vento fustigava "sem dó nem piedade". Aqui, a juntar a este caldo de mau tempo, juntou-se a fadiga e os ossos encharcados que começavam, em alguns, a dar os primeiros sinais de desalento. A força, a vontade, o querer e a união do grupo fez superar todas estas adversidades e permitiu que todos chegassem a Folgosinho, não obstante os primeiros indícios de Hipotermia e de cansaço que estavam a verificar-se. Aqui, num ambiente que "metia medo", o objetivo principal era ter sempre o grupo o mais junto possível para evitar que alguém se perdesse, e dar alento a quem ficasse mais atrasado. Neste processo de "ajuntamento" os que estavam mais à frente nem podiam esperar parados (devido à chuva e ao frio) de modo que passam o tempo a correr de um lado para o outro (feito maluquinhos). Passamos a casa abandonada dos Serviços Florestais, o marco geodésico (a 1600m) e mais à frente quando chegamos (ao também abandonado) Posto de Vigia começamos a descer a Serra. Aqui, à medida que descíamos em altitude ía subindo a temperatura, o que se notava escandalosamente quando chegamos, por fim, a Folgosinho.
12H30 - Quartel dos Bombeiros de Folgosinho
Uma palavra amiga de agradecimento aos Bombeiros, não apenas por aquele banho quente (acho que nunca tomei um banho que me soubesse tão bem) mas também por nos terem emprestado aqueles super -casacos térmicos fantásticos que nos aqueceram enquanto esperávamos que as nossas madames terminassem o banho, secassem o cabelo, pintassem as unhas, colocassem o rímel e o pó de arroz rsrsrs!!!.
Parte II
13H30 - Restaurante "O Albertino"
Depois de tamanha façanha só mesmo aqui se poderiam repor os níveis de energia, de glicémia e de alcoolemia. Já toda a gente sabe: entradas + 6 pratos + sobremesa + café e digestivos.
...E Cumbíbio! Muito... como sempre.
Não é fácil descrever o que se passou, porque penso que só quem passa por esta experiência é que a pode sentir e vivê-la, mas tentei. Aos que não foram imaginem, porque de certeza que, por mais que nos esforcemos jamais voltaremos a ter uma aventura como esta. E um dia, aos nossos netos, haveremos de a contar, com vaidade, se o Alzheimer deixar.
Seguem fotos (poucas, que o tempo não deixou) do resto que a vossa imaginação (louca) quiser recriar e o pouco que as legendas vos possam descrever.
Camião de transporte de Bikes: é assim que as levamos

Desta vez alguém levou maskote!!! De cor pouco recomendável, mas enfim!
 Paragem para o café da manhã na aldeia do Sabugueiro
 Continua a ver, mas com cuidado, sim?!

Serra da Estrela: a expedição Épica do ano (prólogo)

Os bassares (bassarbtt.blogspot.pt) cometeram a LOUCURA de atravessar ontem a Serra da Estrela desde a Lagoa comprida a Folgosinho. Uma expedição épica, dolorosa e a mais dificil que fiz até hoje em BTT. Pedalar na "crista" da Serra, a 1600m de altitude, com chuva, vento, nevoeiro e frio (muito frio) foi um desafio que, felizmente, foi superado por todos os bassares (a exceção de um convidado internacional que desistiu no Vale do Rossim). Perdemos a paisagem (impossível tirar fotos), perdemos o prazer de desfrutar os belos trilhos da serra mas ganhamos o respeito e a admiração de nós próprios ultrapassando aquilo que, diga-se de verdade, foi um missão (quase) impossível. Haveremos de lá voltar, para repetir a proeza, mas desta vez com bom tempo.
Vai ter de ser. 
(em breve cenas dos próximos capítulos desta expedição)